• Item
    ...
Alto Contraste

Notícia

24/01/2024 | 10h05 - Atualizada em 24/01/2024 | 10h15

Portel, uma das rotas preferidas no Marajó, completa 266 anos

Reportagem: Shirley Castilho

Edição: Natália Mello

Cidade é um dos principais destinos turísticos no Marajó.A cidade de Portel, no Arquipélago do Marajó, completa 266 anos nesta quarta-feira (24). Com 62,5 mil habitantes (IBGE/2022), o município possui um patrimônio ambiental imensurável, com grande extensão florestal. Abriga os rios Anapu, Camarapi, Pacajá e Acutiperera, e em suas margens existem praias de água doce e balneários que formam um quadro real de uma beleza espontânea, o que o credenciou a fazer parte do Polo Turístico Marajó.

Destaca-se pela cultura, com danças folclóricas como o carimbó e lundu, e os grupos de quadrilhas juninas, além da produção artesanal, como as peças de cerâmica, madeira, cipós e sementes. Além disso, Portel atrai pela culinária sedimentada a partir do pescado local. Vale lembrar que a riqueza do povo portelense é mais um legado deixado pelos povos indígenas.

Conhecida por suas belezas naturais, a cidade de Portel abriga os rios Anapu, Camarapi, Pacajá e Acutiperera.Desde 2010, a Secretaria Municipal Cultura, Esporte, Lazer e Turismo (SECELT) vem desenvolvendo ações de fomento ao planejamento turístico local. Em 2012, criou o Conselho e o Fundo Municipal de Turismo, e também o Sistema Municipal de Cultura e o Conselho e Fundo Municipal de Esporte e Lazer.

Destacam-se algumas políticas públicas importantes implementadas neste segmento, como o Cadastro de Operadores de Turismo – Cadastur (2011), a instituição do Conselho e Fundo de Turismo (2012), cursos de melhorias nos Serviços de Turismo (2015), e a divisão turística do polo Marajó em região de Campos e região de Florestas.

Devido aos altos índices de devastação florestal, em 9 de novembro de 2023, o município de Portel foi incluído na relação de municípios situados no bioma Amazônia considerados prioritários pelo governo federal para ações de prevenção, controle e redução dos desmatamentos e degradação florestal. Os problemas ambientais, que vêm sendo contornados pela intervenção federal, não tiram a beleza que se observa na vegetação nativa – rica fauna – e nas regiões de florestas com uma diversidade de frutas típicas.

Banhos de rio, passeios de canoa e contemplação da natureza encantam visitantes.Pontos turísticos
Ilha Ajuruzal
Em boas condições de conservação, possibilita uma exuberante paisagem para a sede municipal, pois sua praia tem águas transparentes, areia cinza e possui várias árvores de grande porte, além açaizeiros e, claro, ajuruzeiros, possibilitando a observação de várias espécies de pássaros.

Ilha Curimã
Com praia de águas transparentes em uma temperatura média de 26º C, tem areias brancas e possui várias árvores de grande porte que possibilitam a observação de várias espécies de pássaros e mamíferos.

Floresta Nacional do Caxiuanã - Estação Científica Ferreira Pena
Local importante para a pesquisa científica e sede de reuniões, olimpíadas na floresta, exposições, cursos, capacitações, trilhas na floresta, observação de pássaros e outros animais silvestres. A Floresta Nacional possibilita o contato com a paisagem natural tipicamente amazônica, próxima a igarapés, trilhas no meio da mata, lagos água doce e árvores de grande porte - como castanheiras e seringueiras, de onde é possível observar várias espécies de animais. Além disso, as comunidades que vivem na Flona produzem artesanato de madeira, barro, cipós e talas, sementes e outros insumos da floresta.

Igarapé Muim-Muim
No local, o tradicional banho de rio, passeios de canoas, pesca, contemplação da natureza e contato com a comunidade local são atrativos para os visitantes.

Aos 266 anos, Portel possui 62,5 mil habitantes.História
De acordo com historiadores, as origens de Portel remontam à metade do século XVII, quando o Padre Antônio Vieira fundou no local a aldeia de Arucará com alguns indígenas nhengaíbas oriundos da Ilha Grande de Joannes, passando a ser assim administrada pelos padres da Companhia de Jesus.

A localização da Aldeia de Arucará, que posteriormente tornou-se vila de Portel, e sua consolidação como povoação próspera, obedece à estratégia geopolítica da Coroa Portuguesa de ocupar as terras amazônicas que deveriam pertencer à Espanha, e assim, garantir sua posse de fato e, posteriormente, de direito.

No ano de 1758, Portel teria sido elevada à categoria de vila pelo então presidente da Capitania do Grão Pará, Mendonça Furtado, que instalou o Senado de sua Câmara Municipal em 24 de janeiro daquele ano.