• Item
    ...
Alto Contraste

Notícia

02/04/2024 | 15h21 - Atualizada em 02/04/2024 | 15h21

Deputados repercutem Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo em sessão desta terça-feira

Reportagem: Carlos Boução - AID - Comunicação Social

Edição: Natália Mello - AID - Comunicação Social

Os deputados da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) repercutiram nesta terça-feira (2), na tribuna do plenário Newton Miranda, a data de dois de abril, estabelecida em 2007 pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo. Desde então, a data vem sendo utilizada como forma de aumentar a sensibilização relacionada a todos os aspectos do transtorno do espectro do autismo (TEA).

 

Em seus pronunciamentos, os parlamentares ressaltaram as dificuldades que pessoas autistas enfrentam ainda hoje com a discriminação e barreiras em todos os setores da sociedade – nos sistemas de saúde e de assistência social, na educação, mercado de trabalho, entre outros.

 

O termo “espectro” foi inserido ao nome do transtorno autista em 2013, por conta da diversidade de sintomas e níveis que as pessoas apresentam. Cada indivíduo com autismo tem seu próprio conjunto de manifestações, tornando-o único dentro do espectro.

 

Causa autista

O deputado Carlos Bordalo (PT) comentou que o TEA é uma condição de neurodesenvolvimento. “Tem início nos primeiros anos da infância e persiste na adolescência e vida adulta, embora seus sintomas possam reduzir de modo considerável mediante tratamento”. O parlamentar detalhou as ações do seu mandato em favor da “causa autista” desde 2017, e destacou sua indicação diante da necessidade para implantação do Centro de Reabilitação Integral para Crianças, Adolescentes e Adultos portadores do Transtornos e dos Núcleos de Atendimento Transtorno do Espectro Autista (Natea).


Em outubro do ano passado, o governo do Pará inaugurou o Centro Especializado em Transtorno do Espectro Autista (Cetea), em Belém, considerado o primeiro laboratório de formação profissional para o autismo no Brasil. A instituição possui três Núcleos de Atendimento (Natea) em funcionamento: Belém, Capanema e Tucuruí.

 

"O Dia Mundial do Autismo é uma data importante para a promoção de políticas públicas voltadas para quem tem TEA", disse o deputado Fábio Freitas, responsável pela realização de uma sessão solene realizada nesta segunda-feira, no auditório João Batista, em referência à data.

 

Para o parlamentar, as pessoas devem compreender que autismo não é uma restrição ou uma deficiência, e sim uma condição de diversidade que deve ser respeitada. O deputado garante, ainda, que irá formular um projeto para reduzir a jornada de trabalho aos servidores com filhos diagnosticados com TEA.


Incentivo ao trabalho

Para o deputado Fábio Filgueras (PSB), que tem uma filha portadora de TEA, o dia sobre o Transtorno de Espectro Autista não é de comemoração, mas de conscientização, respeito, tolerância e cooperação com a causa. “Temos que lutar por justiça, equidade e compreender que as condições de disputa precisam respeitar as diferenças e particularidades existentes na sociedade”.

 

O deputado relatou sobre a sua presença pela manhã na marcha realizada em Ananindeua, iniciada ainda quando era vereador no município. “Quando iniciamos, levamos no máximo 80 pessoas. A de hoje tinham quase 800”, registrando o crescimento e a evolução do processo de conscientização. Por último, Fábio Figueiras cobrou a criação de um programa estadual de incentivo ao trabalho a pessoas com TEA.

 

Apoio às mães de filhos com TEA

As deputadas Lívia Duarte (PSOL) e Maria do Carmo (PT) destacaram a necessidade de incentivo a um processo de conscientização, mas assinalaram os avanços já obtidos pelo Estado no acolhimento aos portadores de Transtorno de Espectro Autista. “Avançamos bastante, mas precisamos avançar ainda mais”, destacou Lívia. Para Duarte, muitas mães precisam largar o trabalho para acompanhar o tratamento dos seus filhos. “Temos que ter políticas publicas para acolher estas mães”, pediu.

 

Transtorno do Espectro Autista
O TEA é resultado de alterações físicas e funcionais do cérebro e está relacionado ao desenvolvimento motor, da linguagem e comportamental. O transtorno afeta o comportamento da criança e os primeiros sinais podem ser notados em bebês nos primeiros meses de vida.