• Item
    ...
Alto Contraste

Notícia

26/03/2024 | 16h47 - Atualizada em 26/03/2024 | 17h03

Deputados prestam homenagem póstuma ao pastor Gilberto Marques

Reportagem: Carlos Boução - AID - Comunicação Social

Edição: Natália Mello - AID - Comunicação Social

O deputado Chicão (MDB), presidente do Poder Legislativo do Pará, propôs aos parlamentares da Casa de Leis um minuto de silencio pelo falecimento do pastor Gilberto Marques de Sousa, durante a sessão desta terça-feira (26). O pedido foi acolhido por unanimidade. Aos 81 anos, o pastor da Assembleia de Deus em Belém faleceu na noite de sexta-feira (22) em um hospital da capital, vítima de complicações devido a uma pneumonia.

Gilberto Marques era considerado um dos maiores líderes religiosos do Brasil. Bastante popular entre os membros da congregação, o pastor presidia a Convenção Interestadual de Ministros e Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus do Pará, e era o pai do deputado federal Olival Marques (MDB / Pará).

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), decretou luto oficial no Estado em memória ao trabalho do pastor. Gilberto estava há décadas à frente da evangelização no templo que deu origem à Assembleia de Deus, fundada no Pará, na segunda década do século passado, por dois pastores europeus.

Antes do pedido da homenagem no plenário, o deputado Josué Paiva (Republicanos) fez um pronunciamento de pesar aos familiares, amigos do pastor e a todos obreiros e seus irmãos de fé da Assembleia de Deus, bem como anotou em plenário o legado para o evangelho construído por ele.

“A trajetória de Gilberto Marques como pastor iniciou no dia 1º de janeiro de 1979, quando foi ordenado ao ministério pastoral, ocupando o cargo de pastor auxiliar da Assembleia de Deus de Icoaraci, em Belém, durante nove meses naquele ano”, historiou. Em seguida presidiu a referida Convenção em Igarapé-Açu, pastoreou as igrejas em Capanema e Ananindeua, e foi vice-presidente nacional da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB).

O pastor falecido foi pioneiro em desenvolvimentos de ações sociais, atuando através da Associação Amazônica Evangélica – AAME em todo o Estado do Pará. Além disso, foi mentor e idealizador da construção do Hospital Galileu. “Por duas vezes foi indicado a concorrer ao Prêmio Nobel da Paz”, disse o deputado Josué, que citou ainda diversos outros projetos em desenvolvimento e outros que ele estava implantando.