• Item
    ...
Alto Contraste

Notícia

21/02/2024 | 15h52 - Atualizada em 21/02/2024 | 15h52

Criatividade e originalidade levam perfil da Alepa ao topo das redes sociais das assembleias do país

Reportagem: Natália Mello

Edição: Dina Santos

A equipe que atua nas redes sociais da Alepa é composta por social media e designersO perfil do Instagram da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) está em primeiro lugar no envolvimento com o público dentre as redes de todas as casas legislativas do país em 2024, figurando à frente das Assembleias Legislativas de São Paulo e Rio de Janeiro – Alesp e Alerj. A informação é da plataforma Social Media Gov, que usa várias métricas para avaliar a influência das redes sociais de diversas instituições do Brasil.

O envolvimento considera as diversas interações do público com a rede social, como curtidas, comentários, compartilhamentos e visualizações. A equipe responsável pelo perfil da Alepa garantiu, ainda, os dois primeiros lugares e quatro dentre as 10 postagens com mais envolvimento entre todas as publicações feitas pelos legislativos estaduais brasileiros em 2024.

Os dois conteúdos que garantiram as duas primeiras posições à Casa de Leis foram, respectivamente, sobre o aniversário de Belém e sobre atitudes que devem ser alertas para mulheres evitarem relacionamentos abusivos – o segundo post foi associado a uma fala da big brother paraense Alane Dias sobre as red flags.

Alda Dantas é a coordenadora de comunicação da Alepa Um dos principais motivos do crescimento exponencial das redes da Alepa é a conexão do trabalho do legislativo com as bandeiras sociais atualmente empunhadas pela população. Para a coordenadora de comunicação da Casa de Leis paraense, Alda Dantas, é fundamental que as instituições potencializem o alcance de uma ferramenta tão importante no acesso da população à informação.

"Trabalhamos muito para alavancar uma ferramenta de comunicação tão importante como hoje é o Instagram, o Facebook. Avalio como excelente o planejamento de conteúdo hoje feito pelo nosso coordenador das redes sociais. O Rogério está sempre atento ao que está acontecendo, ao que está sendo pautado na mídia, e tem o timing de postar conteúdos relacionados ao que estamos vivenciando enquanto sociedade. Ou seja, as redes sociais da Alepa servem para despertar o público para situações cotidianas, mas também para levantar discussões importantes que talvez passassem despercebidas", afirmou Alda.

Para a jornalista, mestra em marketing, a missão principal à frente da comunicação da Casa é tornar o Legislativo mais próximo da imprensa e transformar, cada dia mais, a linguagem do Poder em algo mais acessível às pessoas. "Precisamos que todos entendam qual é a missão da Alepa, qual é o objetivo do trabalho feito aqui, que impacta na vida do cidadão. Isso é a minha missão", pontuou.

Resultado é 100% orgânico
Mesmo não sendo, atualmente, a métrica mais importante do universo digital, vale destacar que a Alepa saltou de 9º para 6º lugar em seguidores no Instagram de 2023 para 2024, contabilizando 48 mil usuários que seguem a página do Poder Legislativo do Pará. Uma informação importante sobre esse número é que não são feitos impulsionamento nos conteúdos publicados pela Alepa, então todos os números alcançados são orgânicos, ou seja, obtidos sem nenhum tipo de investimento de recurso financeiro.

O jornalista Rogério Paiva é o coordenador das redes sociais da AlepaRogério Paiva é o responsável por coordenar todo o processo de planejamento das redes sociais da Alepa. Jornalista e mestre em comunicação e jornalismo, ele reforça que o diferencial da equipe é trazer com frequência para as postagens materiais que estejam ligados com a realidade.

"Nós usamos muito o dia a dia para alavancar os nossos materiais, que são de uma comunicação política, porque somos uma Casa de Leis. Então, quando a gente coloca um material que trata de assuntos sociais importantes, você traz a população para estes conteúdos e também para os nossos conteúdos políticos. Uma coisa alavanca a outra, e acabamos tendo um engajamento muito grande de assuntos que não estão diretamente relacionados com a política", disse Rogério.

O jornalista acredita, ainda, que se tornou indispensável pensar as redes sociais de cada órgão, devido ao crescimento dessa ferramenta de comunicação. "As redes sociais não eram tão fortes como são hoje. Então, de um tempo para cá, quem não investe em comunicação digital, especialmente em mídias digitais, está fadado a ter fracasso, seja na iniciativa privada, seja na iniciativa pública. Nós passamos a ter um olhar para isso, investimos em material de qualidade e isso reflete naturalmente nesse resultado que é muito positivo".

Por fim, Rogério, bem como Alda, ressalta outro fator que merece ser levado em consideração: o modus operandi mais enxuto da região Norte do Brasil. Ele atribui grande parte dos bons resultados dos últimos anos das redes da Alepa a dois fatores: originalidade e criatividade.

"Sabemos que estamos em uma região que não é economicamente a mais forte, como São Paulo, Rio de Janeiro, mas ainda assim estamos na liderança. Isso é sinônimo de um trabalho feito com excelência, porque mesmo que a gente não tenha, ainda, a estrutura que uma Alesp ou Alerj têm, conseguimos alcançar as pessoas, porque comunicação digital não é só estrutura, é criatividade. É oferecer bons conteúdos e material que estimule o engajamento. Então estamos antenados com o atual e buscamos originalidade, até o conteúdo inédito e criativo, que chama atenção das pessoas, viraliza. O algoritmo faz essa triagem. Então, isso também é um dos impulsionadores dos nossos conteúdos", finaliza Rogério.