19ª Legislatura 2019 - 2022

Notícia

Assembleia Legislativa instala o Grupo de Trabalho sobre doenças cérebro cardiovasculares

23/11/2021 16h11 - Atualizada em 23/11/2021 13h10
Por Dina Santos - AID - Comunicação Social

A Comissão Permanente de Saúde da Alepa instalou na tarde desta terça-feira (23/11) o Grupo de Trabalho de Atenção a Pacientes com doenças cérebro cardiovasculares. A iniciativa foi proposta pelo deputado Jaques neves, presidente da comissão de Saúde.

"As estatísticas relacionadas a essas doenças são assustadoras. 17,9 milhões de pessoas morrem por ano, acometidas por doenças cérebro cardiovasculares, o que corresponde a 31% das mortes no mundo. Em 85% dos casos, essas mortes foram por ataques cardíacos e AVCs", enumerou o deputado Jaques Neves.

Deputado Jaques Neves

O parlamentar ressaltou que o Grupo de Trabalho não tem como objetivo assumir atribuições que são do Estado. "Cabe ao governo atuar fortemente na prevenção. Nós queremos contribuir para que as políticas públicas de assistência sejam implementadas em todo o nosso território, de forma a garantir o atendimento de qualidade e de forma igualitária para nossa população, seja na capital ou no Marajó, em qualquer município paraense", avaliou Jaques Neves.

Deputado Jaques Neves e deputado Dr. Galileu

"Trabalhamos fortemente para ter retaguarda no Estado para esses pacientes", destacou o deputado Dr. Galileu. "AVCs e infartos são hoje a principal causa e o que mais impacta na regulação do Estado. São doenças que levam a população ao sofrimento nas UPAs e hospitais. Se esses pacientes forem atendidos de forma adequada e precoce, o prognóstico é melhor. Mas o que vemos hoje é que, quando esse paciente consegue um leito, está em condições graves e fica meses internado, impactando na capacidade de atendimento de outros pacientes", avalia Dr. Galileu.

O Grupo de Trabalho terá um prazo de atuação de 180 dias, prorrogáveis por mais 60 dias, com 10 integrantes. Além dos deputados, representantes da Secretaria Estadual de Saúde do Estado e dos municípios, de faculdades e de sociedades profissionais das áreas médicas relacionadas às doenças cérebro cardiovasculares ( cardiologia, neurologia, fisioterapia, endocrinologia, nutrição), e dos conselhos regionais de medicina e de enfermagem.

O representante do Cesupa, Paulo Henrique Pereira, destacou que as academias são lugares onde se fomenta a ciência. "Por ser um ambiente formador de profissionais de saúde, de médicos, esses profissionais formados nas faculdades podem atuar em locais mais distantes. O que afasta os médicos desses municípios é a falta de políticas públicas que garantam condições para que eles possam atuar e dar o melhor atendimento, com uma medicina de qualidade. Se pudermos contribuir nesse sentido, nossa função é formar pessoas e através desse grupo fornecer as condições necessárias para que esses profissionais possam trabalhar mesmo em localidades mais distantes", avaliou.

Louise Cardoso

Louise Cardoso, da Sespa, afirmou que "é muito importante que a secretaria seja atuante nesse Grupo de Trabalho, pois nossa missão é atender a população e conseguimos enxergar que há uma demanda muito grande relacionada a essas doenças. E aqui, junto com o Poder Legislativo, temos a oportunidade de participar desse grupo para planejar e buscar alternativas para atender nossos pacientes e dar resolutividade, reduzindo o número de óbitos", finalizou.

As doenças cardiovasculares são um grupo de doenças do coração e dos vasos sanguíneos e incluem:
• Doença coronariana – doença dos vasos sanguíneos que irrigam o músculo cardíaco;
• Doença cerebrovascular – doença dos vasos sanguíneos que irrigam o cérebro;
• Doença arterial periférica – doença dos vasos sanguíneos que irrigam os membros superiores e inferiores;
• Doença cardíaca reumática – danos no músculo do coração e válvulas cardíacas devido à febre reumática, causada por bactérias estreptocócicas;
• Cardiopatia congênita – malformações na estrutura do coração existentes desde o momento do nascimento;
• Trombose venosa profunda e embolia pulmonar – coágulos sanguíneos nas veias das pernas, que podem se desalojar e se mover para o coração e pulmões.

Ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais geralmente são eventos agudos causados principalmente por um bloqueio que impede que o sangue flua para o coração ou para o cérebro. A razão mais comum para isso é o acúmulo de depósitos de gordura nas paredes internas dos vasos sanguíneos que irrigam o coração ou o cérebro.

Os acidentes vasculares cerebrais também podem ser causados por uma hemorragia em vasos sanguíneos do cérebro ou a partir de coágulos de sangue. A causa de ataques cardíacos e AVCs geralmente são uma combinação de fatores de risco, como o uso de tabaco, dietas inadequadas e obesidade, sedentarismo e o uso nocivo do álcool, hipertensão, diabetes e hiperlipidemia.

A maioria das doenças cardiovasculares pode ser prevenida por meio da abordagem de fatores comportamentais de risco – como o uso de tabaco, dietas não saudáveis e obesidade, falta de atividade física e uso nocivo do álcool –, utilizando estratégias para a população em geral.

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo: mais pessoas morrem anualmente por essas enfermidades do que por qualquer outra causa. Mais de três quartos das mortes por doenças cardiovasculares ocorrem em países de baixa e média renda.

Palácio Cabanagem - Rua do Aveiro,130 - Praça Dom Pedro II, Bairro Cidade Velha - 66020-070
(91) 3213-4200
AID - Assessoria de Imprensa e Divulgação - Email: imprensa@alepa.pa.gov.br | Sistemas
Ouvidoria: ouvidoria.alepa.pa.gov.br

Todos os Direitos reservados | 2019